Projeto “Single Spirit”

A “Single Spirit” em questão será uma Single Speed!

Mas o que é uma Single Speed?

A grosso modo, uma Single Speed é uma bike sem marcha, ou seja, como o próprio nome diz de uma única velocidade. Parecida fisicamente com uma Roda Fixa (Fixed Gear), porém esta você sempre está pedalando, como num tricículo infantil, pois o pedivela se movimenta juntamente com roda e a frenagem fica por conta da força nos pedais.

Atualmente estou envolvido num projeto pessoal para montar uma Single a partir de um quadro de Caloi 10 recentemente adquirido.

Mas, “pra que” isso, cara? Coloca uma “marchinha” nessa bike?

Bicicletas com marcha são uma maravilha. Isto é fato. Porém, uma Single Speed é algo totalmente diferente. Pelo que andei pesquisando e me motivou a tal projeto, pedalar uma single é algo próximo a nossas experiências da infância quando pedalavamos nossas bikes apenas com aquele esforço físico, sem se preocupar em mudar a marcha para determinada subida. Fora o esforço físico, um verdadeiro “halterociclismo”, quando se quer chegar a velicidades maiores, desenvolvendo também a parte física. Não é um retrocesso mas sim um reencontro.

Por enquanto possuo apenas o quadro de C10, que segundo me informaram, é da década de 70, uma mesa Dia-Compe por volta dessa data também e um garfo de C10 (este não veio com o quadro).

Na mesa tive de fazer um trabalho de restauração! Ela apresentava marcas de marreta feitas por alguém no mínimo ignorante! Mas depois de todo o processo, que foi copiado a risca do blog Mario Canna, ela ficou assim:

Mesa Dia-Compe antes e depois do restauro.

Mesa Dia-Compe antes e depois do restauro.

Valeu a pena!

Quanto ao quadro, está com um amarelo castigado, então pretendo pintá-lo de preto fosco, assim como o garfo também.

Assim que o projeto for caminhando posto as novidades!

28/09/2009

Atualizando…

Terminei de pintar o quadro e o garfo, deu um trabalhinho mas no final valeu pelo resultado e pela diversão!

Pintei com spray, seguindo as dicas de dois blogs, o do Bernardo Amorim que dá a sugestão do uso de spray e o do Mario Canna, já mencionado anteriormente.

Além disso, comprei um pedivela Sugino de 44 dentes e após usar um programa para cálculo da relação, o fantástico Rabbit, acho que vou optar pela relação 44/18.

Segue a foto do quadro já pintado juntos com as peças que possuo até o momento. Em breve irei montar a caixa de direção e colocar o movimento central.

Quadro e garfo após a pintura

Quadro e garfo após a pintura

20/11/2009

Atualizando!

Essa semana dei o impulso final que faltava no projeto!

De uns tempos pra cá, começei a cogitar a possibilidade de montar uma Single que também pudesse ser convertida em fixa. Inicialmente pensei em montar duas rodas diferentes, uma livre e outra fixa, porém acabei por descobrir os maravilhosos cubos de pista, que possuem de um lado uma rosca para catraca livre e do outro uma para pinhão fixo, já com a contra-porca específica.

Depois de muito procurar, acabei por encontrá-los e não são nem um pouco baratos se comparados com outras alternativas DIY. Mas é um bom investimento!

Quase todas as peças já estão numa oficina de um colega, só estou aguardando a chegada dos aros, que por serem 27 e com 32 furos (o comum é venderem o de 36 furos), tiveram de ser comprados direto na fábrica.

Outra mudança foi em relação ao guidão, que inicialmente seria de speed e agora será um de passeio comum, mais adequado ao uso que farei dela.

Sem fotos, por enquanto!

Atualizando…

Finalmente terminei de montar minha Single/ Fixa!

Pensada inicialmente apenas como uma Single Speed, a magrela acabou se tornando mais versátil e equipada com um cubo de pista Formula (flip-flop) virou uma Fixa também.

A Single foi rapidamente testada em uma pedalada do mecânico até minha casa e as primeiras impressões são as de uma bike leve quanto ao peso e com uma boa relação para as partes planas e subidas leves. Ainda não encarei nenhum paredão para dar o veredito final.

Quanto a Fixa, fico devendo uma análise, pois, por uma série de fatores, ainda não pude testá-la nessa configuração.

Mas em breve tirarei as primeiras conclusões.

Seguem algumas poucas fotos da bike. Fico devendo algumas fotos mais “caprichadas”.

Minha Single/ Fixa

Atualizando…

(18/02/2010)

Quando começei esse projeto de montar uma single-speed, pensava nas bikes com pinhão fixo, as famosas “fixas”, como algo inviável para uma cidade como São Paulo. Aos poucos fui mudando de idéia, felizmente, chegando ao ponto de optar por um cubo de pista que possibilitasse usá-la como single e fixa. De início, ao pedalar com a bike no lado fixo, achei diferente a experiência, mas não ruim, longe disso. A fixa parecia algo indomável, e era preciso repensar e reaprender as ações em cima da bike. Levei o primeiro tombo e mesmo assim não teve jeito. A bike, que antes era single-speed e fixa, se tornou definitivamente fixed com a retirada do freio traseiro. Do outro lado ficou a roda-livre, para enfeitar e chamar a atenção dos curiosos.

E aqui, preparada para o Bike Polo!

E atualmente…

Mas, por pouco tempo. Em breve vai ganhar essa belezura:

Vitus

  1. Hahahahaha, essa porra vicia!

  1. 26 de Novembro, 2010
    Trackback from : DIY « CICLOAÇÃO

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: